Nova Abordagem Integrada para o Tratamento de Ocorrências Notáveis Registradas no Metrô de São Paulo

Ocorrências técnicas de grande repercussão causam transtornos quanto à oferta programada e/ou alteração da rotina dos sistemas operados, e podem colocar em risco a segurança do passageiro, empregado, equipamentos e instalações. Estas são relacionadas, em sua maioria, a problemas com o Material Rodante, Via Permanente, Suprimento Elétrico, Sistema de Controle ou ainda provocados por fatores externos (ex. interferência de passageiros, condições meteorológicas, etc.). A análise individual de cada ocorrência, envolvendo os responsáveis do quadro técnico e operacional, sob gestão da Gerência de Operações (GOP), tem a finalidade de buscar soluções para anular todos os fatores observados que causaram, ou agravaram, a ocorrência bem como elaborar planos de ação que nos permitam restabelecer o carrossel rapidamente. Embora sob gestão da GOP, o envolvimento do quadro técnico da GMT ? Gerência de Manutenção é essencial para o tratamento dos problemas, e o sucesso de aplicação e controle dessas soluções passa a ser dependente do grau de interação entre as equipes de cada gerência. Para isso, desde 2018, com o advento de novas ferramentas digitais baseadas em armazenamento e compartilhamento em nuvem, através do Projeto Metrô Digital, os dados coletados na análise de todas as ocorrências, bem como as soluções técnicas e revisões de procedimentos e processos operacionais, passaram a ser compartilhados e discutidos de forma unificada. Para cada ocorrência, cada uma das partes responsáveis avalia o seu grau de envolvimento na solução do problema e propõe ações e prazos a serem cumpridos para que estes não voltem a ocorrer e se, porventura, voltarem a ocorrer, como restabelecer o sistema o mais rápido possível. A principal contribuição do nosso trabalho é mostrar que a informação pertencente a um grupo, quando compartilhada e tratada colaborativamente dentro de uma mesma empresa entre áreas correlatas, pode alcançar um nível de sucesso maior quando tratada apenas dentro de uma área específica. Algumas soluções simples e eficientes foram suscitadas a partir de discussões on-line e presenciais, vindas de ambas as gerências, e foram implementadas, testadas e implantadas em todas as Linhas. Como exemplo, tivemos a implantação do Adesivo de Isolação de Porta, que permitiu a continuidade de operação do trem em situações degradadas, mantendo a disponibilidade da Linha e garantindo a segurança operacional, dentre outras que poderão ser explanadas neste trabalho. O processo continua em andamento, e outras soluções estão sendo analisadas constantemente para atender a demanda crescente do Metrô de SP, mesmo sob condições adversas temporárias (ex. pandemia COVID-19), diminuindo a percepção do nosso passageiro diante de cenários de operação degradada e aumentando a confiança e disponibilidade dos equipamentos.

Palestrante

Charles Iury Oliveira Martins

Engenheiro Eletrônico

Charles Iury Oliveira Martins
Engenheiro eletrônico na Companhia do Metropolitano de SP, Graduado em Engenharia de Teleinformática pela Universidade Federal do Ceará, Mestre em Ciência da Computação pelo Instituto de Matemática e Estatística da USP, e técnico de Telecomunicações pelo CEFET-CE. Atuou em áreas de pesquisa envolvendo processamento digital de imagens nas áreas médica, de geociências e oceanografia.

Patrocínio Diamante
Patrocínio Ouro
Patrocínio Prata
Patrocínio Individual
Parceiros
Apoio Institucional
Empresas Parceiras
Apoio de Mídia
Realização Logo AEAMESP
Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô

Rua do Paraíso, 67 - 2 andar - São Paulo - SP - CEP 04103-000

(11) 3287-4565 - (11) 3284-0041 - www.aeamesp.org.br

eventos@aeamesp.org.br

Comercialização Logo Via Brasil Comunicação
Via Brasil Comunicação
Sobre os cookies em nosso site

Nós usamos cookies para compreender o que o visitante do evento precisa e melhorar sua experiência como usuário. Ao clicar em “Aceitar” você estará de acordo com o uso desses cookies. Saiba mais!