Desafios e Inovações no Projeto Básico de Sistemas de Sinalização e Controle Centralizado da Extensão

Se imaginarmos a complexidade do empreendimento da Extensão da Linha 2 Verde, observamos que a nova estrutura de requisitos propicia um maior detalhamento na parcela específica, na qual deveremos considerar todas as variáveis envolvidas no empreendimento, seja a questão das fases de implantação, continuidade dos sistemas da Linha 2 Verde e o plano estratégico de implantação em fases para mitigar os impactos no restante da Linha 2 Verde em operação.
Com base nestas premissas, elencamos alguns itens abaixo que foram definidos nos requisitos específicos da especificação de Sistemas de Sinalização e Controle Centralizado.
1.    Notória especialidade dispensa de licitação em função da continuidade dos Sistemas de Sinalização e Controle Centralizado já implantados na Linha 2 Verde;  
2.    Fases 1 e 2 de implantação dos Sistemas de Sinalização e Controle Centralizado alinhado com as fases do empreendimento da Extensão da Linha 2 Verde;
3.    Convivência entre a implantação do CBTC na Extensão da Linha 2 Verde e a operação comercial do CBTC da Linha 2 Verde;  
4.    Premissas adotadas no plano estratégico de implantação e testes do CBTC da Extensão da Linha 2 Verde, são elas:
a) Sistema de Controle de Trens (SCT) de contingência será utilizado na fase inicial de forma isolado para as fases de implantação e testes somente da Extensão da Linha 2 - Verde, onde após a validação de software do CBTC da Extensão, a baseline correspondente  poderá ser inicialmente carregada no ambiente do SCT da Linha 2 - Verde para execução dos testes de integração e, posteriormente, após liberado, como uma baseline operacional para a Linha 2 Verde, incluindo a Extensão;
b) Estratégia de incluir 01(um) equipamento de controle ZC, LC e CLC para cada fase do empreendimento; 
c) Implantação e testes isolados dos equipamentos da Extensão da Linha 2 Verde, sem impactar no restante da Linha 2 Verde, ou seja, garantir a validação de uma grande parcela do CBTC da Extensão Linha 2 Verde, tanto do ponto de vista do hardware como do software do CBTC para então seguir para a etapa de incorporar a baseline da Extensão no restante da Linha 2 Verde operacional;   
d) Convivência dos estacionamentos de trens ao longo da Extensão em função da redução do escopo do empreendimento no trecho prioritário e a retirada do Pátio Paulo Freire, pertencente ao outro trecho até a Estação Dutra.  

Palestrante

Rubens Navas Borloni

Coordenador dos Sistemas de Sinalização

Rubens Navas Borloni

Engenheiro Eletricista, formado pela Universidade Paulista, pós graduado pela USP, Certificado PMP. Experiência de 6 anos na Manutenção e 23 anos de Engenharia de Projetos do Sistema de Sinalização e Controle Centralizado. Atualmente, ocupa o cargo de Coordenador dos Sistemas de Sinalização e Controle Centralizadona Gerência de Projetos – GPR do Metrô de São Paulo.

Patrocínio Diamante
Patrocínio Ouro
Patrocínio Prata
Patrocínio Individual
Parceiros
Apoio Institucional
Empresas Parceiras
Apoio de Mídia
Realização Logo AEAMESP
Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô

Rua do Paraíso, 67 - 2 andar - São Paulo - SP - CEP 04103-000

(11) 3287-4565 - (11) 3284-0041 - www.aeamesp.org.br

eventos@aeamesp.org.br

Comercialização Logo Via Brasil Comunicação
Via Brasil Comunicação
Sobre os cookies em nosso site

Nós usamos cookies para compreender o que o visitante do evento precisa e melhorar sua experiência como usuário. Ao clicar em “Aceitar” você estará de acordo com o uso desses cookies. Saiba mais!